Header Ads

Taça Paraná: FC Cascavel elimina Rio Branco nos pênaltis e está na final

Foi suada, difícil e nos pênaltis, mas merecida. O FC Cascavel conseguiu a classificação para a final da Taça FPF nas penalidades máximas contra o Rio Branco, em confronto realizado no Estádio Olímpico Regional neste domingo. No tempo regulamentar, a partida terminou 1 a 1. No entanto, o aurinegro conseguiu superar a equipe de Paranaguá e disputará a final com o Maringá FC.

O FC Cascavel começou a semifinal controlando o jogo. Apesar de ter empatado em dois a dois no jogo de ida, a serpente não tinha interesse em disputar a vaga nas penalidades, assim como a conquistada contra o Operário. No primeiro lance de perigo, Tocantins chutou fraco ao lado esquerdo do goleiro.

Após isso, o Rio Branco dominou o campo. O time, acostumado a alçar bolas na área devido à péssima qualidade do gramado do Estádio Nelson Medrado Dias, em Paranaguá, abusou das bolas por cima. Foram diversas tentativas ao longo do primeiro tempo.

Aos oito, Hyago, da serpente, em boa jogada individual, chutou por cima. Aos 21, em mais um “chuveirinho”, o atacante do Rio Branco escorou de cabeça para longe. Enquanto o Rio Branco cruzava na área de Lucas, o aurinegro reagia como podia. Tocantins, aos 29, recebeu livre na pequena área e ao limpar para fazer o gol, foi bloqueado pela zaga.

Aos 30, o capitão Oberdan salvou o FC Cascavel após mais um cruzamento. Se ele não tirasse a bola de bicicleta, ela sobraria livre para o atacante do time do litoral. Mas, de tanto insistir, o Rio Branco teve êxito. Aos 35, o volante Krisman meteu para as redes de cabeça depois de uma bola parada. Um a zero Rio Branco.

No restante do tempo, a serpente não se encontrou. No entanto, no segundo tempo o time veio com outra postura. Apesar da pressão inicial do visitante, logo no começo do jogo o treinador Rodrigo Cabral trocou o meia Ganem pelo antes dono da dez André. O jovem jogador mudou o destino do jogo.

André conseguiu proporcionar ao time o que estava faltando: a ligação entre meio e ataque. Caindo pelos dois lados, o inspirado jogador driblou, cruzou, sofreu faltas e deu bons passes e cruzamentos aos seus companheiros. A movimentação de André desmontou o time do Rio Branco. Com volúpia, o FC Cascavel cresceu.

Aos oito, Oberdan chutou forte e a bola foi claramente desviada pela defesa. O juiz não viu e deu tiro de meta. Aos 19, outra grande chance. Em boa jogada articulada por André e Vagner, Gasperin cruzou na área e, após a rebatida da zaga, o lateral esquerdo Elivelton pegou de primeira com a perna ruim e mandou na forquilha. Quase o empate.

O atacante Kiko também perdeu outra grande oportunidade. Com 25 minutos marcados, depois de uma confusão na área sobrou para o nove da serpente na pequena área. Ele pegou embaixo da bola e mandou para fora.

Logo depois, veio a compensação pelo esforço. André sofreu falta no canto da área. Elivelton bateu fechado e a bola não desviou em ninguém. Gol do Elivelton, o gol do empate.

Em seguida, quase a virada. Mais uma confusão na área do Rio Branco e Oberdan chutou firme de chapa, mas a redonda explodiu no travessão, para o delírio e angústia dos mais de 700 torcedores presentes.

O cansaço bateu nos dois lados e as câimbras começaram a atacar ambos os times. Lesões também paralisaram o jogo, que terminou empatado. Mais uma disputa de pênaltis para o FC Cascavel.

O primeiro a bater foi Gasperin, lateral artilheiro e cobrador oficial de pênaltis da serpente. Ele não desperdiçou e fez um a zero. Na sequência, a marra do camisa dez do litoral, Neto, não ajudou. Ele bateu e “São” Lucas defendeu. O goleiro, que já havia sido decisivo nas quartas de final, brilhou novamente. Na sequência, Vagner ampliou a vantagem do aurinegro. Giva, que fez um dos gols no jogo de ida, chutou por cima e desperdiçou. No entanto, o Cascavel não aproveitou a chance e Elivelton bateu mal e fraco no canto direito, facilitando a defesa do goleiro do litoral. Darlan chutou firme e diminuiu a diferença. Kiko poderia ampliar, mas parou no goleiro do Rio Branco. Porém, o time de Paranaguá não aproveitou a oportunidade de igualar o placar. Lica bateu fraco e “São” Lucas pegou mais uma. A quinta cobrança era de Hyago Medeiros, também responsável pela derradeira contra o Operário. O jovem jogador foi frio e bateu com tranquilidade no canto direito esquerdo do goleiro, deslocando-o totalmente. É festa aurinegra e o FC Cascavel está classificado para a final da Taça FPF.

A final da competição, que vale uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de Futebol, será contra o Maringá FC. O time superou o Toledo e enfrentará a serpente. O primeiro jogo será no Estádio Olímpico Regional de Cascavel, às 11h05, no dia 29.

Assessoria FC Cascavel/Foto: Divulgação FC Cascavel

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.